A cena cultural em Moçambique está em auge. Tanto artistas como apreciadores de arte de todos os tipos, desde a pintura, à música, fashion, cinema e muito mais, estão cientes de que estamos no meio de uma renascença da cultura e arte Moçambicana e hoje trago-vos alguns projectos nos quais vale a pena estar atento.

13923532_1024044830996986_1849232734902180137_o

1. HēandsŪp. Quem acompanha o meu twitter e instagram sabe o quanto RENDO com esta exposição e com o trabalho do Ricardo Pinto Jorge no geral. A primeira vez que vi um trabalho dele foi na capa da mixtape Artistic do Laylizzy (que podem escutar e baixar no TIDAL, iTunes e outras fontes) e fiquei absolutamente pasma com a quantidade de detalhe e com a crueza do trabalho. No início desde mês ele abriu a sua 2a exposição solo entitulada #HēandsŪp no Centro Cultural Franco-Moçambicano.

Ricardo Pinto Jorge e a curadora Carine Harmand trazem-nos uma incrível coleção de stencil art com temas fortíssimos e extremamente relevantes e conscientes do que está a acontecer em Moçambique e no mundo, social e culturalmente, abordando questões de política, género, identidade, vícios modernos (como smarphones, sneakers, etc.) e muito mais, tudo ao som da excelente curadoria musical de Nandele Maguni durante a abertura.

O mais incrível p’ra mim foi o nível de pensamento e consideração não só nas peças em si mas na campanha à volta da exposição, desde os previews em forma de  animação e vídeo produzidos pelo próprio artista, até à consideração dos nossos bolsos com as alternativas que ele nos dá de adquirir a arte dele, fornecendo-nos prints das obras a preços extremamente acessíveis e houve também zum zum de mais goodies desde t-shirts a books das obras da exposição então fiquem ligados ao Ricardo e ao seu trabalho no Facebook e Instagram p’ra saberem destas novidades quando forem lançadas.

Definitivamente visitem a exposição que está aberta das 8h às 19h e irá correr até 3 de Setembro do corrente ano no CCFM e p’ra quem não puder ver a exposição em Moçambique, a mesma vai acontecer também de 7 de Setembro a 31 de Outubro na Erdmann Contemporary em Cape Town. A abertura será no dia 7 de Setembro às 19h.

P’ra quem ainda precisa ser convencido, baixem o catálogo da exposição AQUI e desfrutem da surpresinha escondida!

Capa Frontal

2. Trap House. No que diz respeito a rap, tendo a ser extremamente selectiva naquilo que escuto e Walter “Teknik” Jofane se encontra constantemente na minha lista de rotação. Nesta quarta-feira ele lançou a sua mais recente mixtape, Trap House, seguindo o sucesso do 8 ou 80 lançado em Novembro do ano passado.

A dopeness deste novo trabalho não se pode ignorar. Este monstro do rap game traz-nos trap viciante e lyrics e flows que são prova irrefutável do crescimento e diversidade do Teknik e dos tropas Moneycomio Hooligans, Indústria do Bom Som e MVLCOLM Filmes. Alguns suspeitos de costume como Machine, Sodoma e Monitto trazem barras que pesam toneladas. Até o próprio gigante do rap moz e agora CEO da IBS, Klorokilla, entre produzir o show de lançamento da sua mixtape Xigumandzene, que irá acontecer no dia 16 de Setembro pelas 20h no Gil Vicente, com participação de Gran’Mah e com convidados especiais Muzila e DJ Faya, dá a sua aparência na track O Grande Debate. A produção conta igualmente com nomes bem conhecidos na praça como o próprio Teknik, Machine Beatz, Kae Em e Key Beatz (que compôs uma das minhas instrumentais favoritas da mixtape, Nada A Esconder).

Esta explosão sonora está dividida em duas partes, como uma belíssima peça teatral. A primeira parte, A Zueira, composta por songs up-beat no clássico estilo trap e depois vem A Ressaca, composta por ritmos com influências de dub, jazz e old school hip hop e temáticas que abordam questões de identidade, autenticidade, a nossa obsessão com as redes sociais, etc.

Quem quizer ter uma experiência sonora sem igual definitivamente deve baixar esta mixtape, completamente grátis AQUI!

3. O Resgate. Raramente se fala de Moçambique no âmbito do cinema global mas este ano não será possível ignorar o trabalho que a Mahla Filmes tem feito com os seus magníficos shorts de extrema relevância social e cultural como o short Mahla e seguidamente O Lobolo, Venenos do Amor com participação de Edson Da Luz (mais conhecido por Azagaia), A Carta e Dina, produzidos em 2010 para a N’weti em parceria com a Embaixada da Holanda e lançados ao público pelo seu canal no youtube este ano, a Mahla Filmes mostrou, p’ra quem não os conhecia, que eles fazem mais do que spots publicitários. Pipas Forjaz e Mickey Fonseca lançaram as suas ambições este ano para produzir um filme de dimensões épicas entitulado O Resgate. Como já dá p’ra perceber pelo título, o filme aborda a triste situação que vivenciamos ano passado, e que ainda se reflete hoje, dos raptos de cidadãos Moçambicanos e estrangeiros e obrigados eles mesmos e as suas famílias a viverem em estado de pânico, até que fosse pago um valor monetário pelo resgate.

O filme, que se espera ser lançado no próximo ano, tem um trailer extremamente trill. P’ra quem achava que thrillers de qualidade só são possíveis em Hollywood ou no Brasil não sabe o que lhe espera. Com participação de Gil Esmael e da gigante do teatro e cinema Moçambicano, Arlete Bombe, o filme com certeza será um marco na história do nosso cinema.

Assista o trailer acima e contribua para que este filme aconteca, partilhando o trailer nas redes sociais e doando através da campanha no indiegogo, por conta bancária ou por Mkesh ou M-Pesa através dos detalhes abaixo.

WhatsApp Image 2016-08-25 at 5.04.20 PM